Além dos 4 ex-dirigentes da alta – e prepotente – cúpula da antiga CBDA, os sócios da Pro Swim estão enrolados na denúncia que o Ministério Público Federal apresentou hoje à Justiça Criminal Federal, pedindo que Coaracy Nunes Filho, Ricardo Cabral, Ricardo de Moura, Sérgio Alvarenga, Haller Ramos de Freitas, José Nilton Cabral da Rocha, Monica Pereira da Silva Ramos de Freitas e Keila Delfini Santos Pereira da Silva sejam enquadrados em crimes de pecutalo, organização criminosa, licitação fraudulenta e falsidade ideológica.

Caso a Justiça aceite a denúncia, todos os denunciados passam a ser considerados réus e entram em um possível longo julgamento, com testemunhas de acusação e defesa, apresentação de provas e, no fim, a conclusão do processo com a condenação ou não dos citados. As penas para os crimes citados vão variar de 14 a 65 anos de prisão.

Esta denúncia é consequência da ação criminal que o MPF ingressou na mesma Vara Criminal da 3a. Região, em São Paulo, que pediu a prisão preventiva dos 4 ex-dirigentes e condução coercitiva de outras 10 pessoas à Polícia Federal.

Confira a denúncia completa:

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *