Uncategorized

A quem interessa mudar a CBDA?

Na semana da realização da Assembléia Geral Ordinária da CBDA – até aqui, 13 de março 12:00 com eleição suspensa – listamos uma sequência de interessados na agora favorita chapa de oposição liderada por Miguel Cagnoni e Luiz Fernando Coelho, o que provará que a mudança não só será benéfica para o desenvolvimento esportivo, embora é preciso ter em mente que ela se dará de forma gradual e não brusco, mas também para uma longa cadeia que mantém ligações intrínsecas com a Confederação.

A QUEM INTERESSA MUDAR A CBDA?

  1. Comitê Olímpico Brasileiro: Confederação organizada, com credibilidade e com atletas motivados significa medalhas, exposição e melhor posicionamento do país no cenário esportivo mundial;
  2. Ministério do Esporte: Seriedade e organização significa redução extrema de problemas com prestação de contas, apresentação de projetos e paralelamente justifica investimentos milionários com resultados transparentes e concretos, com metas viáveis – e não abstratas – definidas e cumpridas;
  3. Televisão: algumas pessoas ligadas à tv confessaram que a CBDA estragou o produto “natação”, perdeu visibilidade, credibilidade, regras não são claras quanto à exposição de um atleta da seleção e também a tão falada “carência de ídolos”. A televisão precisa do produto “natação” porque vende, atrai público, não é um esporte qualquer, é um dos 5 esportes mais praticados no país! E consequentemente, ajuda à criação de programas, matérias, interesse e receita publicitária. Quando foi a última vez que você viu um programa exclusivo dedicado aos esportes aquáticos exibido na tv, seja aberta ou fechada? Sim, isso mesmo, foi em agosto de 2012, o programa “Planeta Água” da ESPN Brasil…
  4. Federações: algumas torcem o nariz para mudanças porque simplesmente estão acomodadas com a situação atual – que claramente não é boa. Federações nunca tiveram participações ativas com exceções apenas à Assembléia e quando são sedes de campeonatos brasileiros, e ainda assim funcionam sob completa administração e mando da CBDA. Mais estrutura e incentivo pra realizar competições é o melhor caminho, além de ser mais barato, para criar interesse local nos esportes aquáticos. Movimenta clubes, movimenta técnicos, movimenta atletas, movimenta árbitros, movimenta uma família. Quanto mais competições, melhor;
  5. Mídia: natação é um excelente produto para mídia em qualquer plataforma: tv, rádio, jornal, digital, redes sociais. Mas sem atletas e sem competições – que é a principal vitrine do atleta – como transformar isso em notícia, em foto, em discussão, em viralização? Além disso, poucos estados ainda conseguem incluir a natação na mídia restritivamente de alcance apenas para o futebol. Se César Cielo e Thiago Pereira que são os maiores expoentes da natação atual e são subaproveitados em termos de espaço em mídia, a CBDA deve melhorar a penetração na mídia de forma constante, criando, inovando, interagindo. Quase 450 mil curtidas na página oficial do Facebook é um indício que existe interesse, mas falta alcançar a exposição em múltiplos espaços, o que comprovadamente é muito mais fácil através de eventos;
  6. Clubes: como planejar participações em campeonatos que demoram meses a serem “aprovados em Assembléia” e ainda assim sem garantia de local? Qual o benefício ou as vantagens que o clube tem em participar de uma competição no interior do estado? Confederação organizada dá espaço para clube executar suas muitas ações, que acreditem, existem;
  7. Escolas de natação: o interesse criado pela CBDA difuso pela mídia, televisão e federações atrairá pequenos alunos que estão indecisos entre aprender natação ou judô, futebol, atletismo, vôlei, basquete e tantas outras opções num mercado incrivelmente abastado mas disputado. Mas de todos os esportes, lembramos o mote de que “a natação é o único esporte que salva vidas”. A natação deve ser um esporte fundamental na vida das crianças, e a decisão é influenciada pela própria criança, que vê, que lê, que assiste, que participou, que viu um nadador campeão olímpico ou pan-americano, que teve acesso aos benefícios da natação e vislumbrou ali que sim, ele pode sonhar e iniciar um longo trajeto num esporte que poderá lhe abrir muitas portas, financeiras, estudantis e profissionais. Mas precisa começar, e o começo de todo nadador sempre foi a escola de natação. Mais matrículas, mais atletas, mais contratação de professores, mais circulação, mais renda e muito mais atletas competitivos saindo das aulas básicas;
  8. Técnicos: fora o lado técnico, colocando o atleta sendo testado em várias competições com o objetivo de aprimorar, o técnico precisa de exposição, precisa de estar constantemente sendo desafiado e sendo exposto para valorizar sua profissão e seu trabalho;
  9. Patrocinadores: onde está esse esporte aquático no cenário mercadológico? Porquê uma empresa deve dar dinheiro a uma Confederação que não consegue sustentar um calendário mínimo de eventos e cujo retorno é amador e de valor de qualidade altamente questionável? A partir do momento em que existe uma liderança dentro da CBDA que pense como um presidente de empresa, onde deve existir um ganho financeiro para ambos os lados do negócio, a lista de empresas interessadas em fazer negócio com a CBDA crescerá;
  10. Empresas de negócio específicos com esporte aquático: como vender sunga, maiô, touca, óculos, prancha e até piscina se a natação está sem exposição, se não há ações constantes para lembrar ao público que haverá competição, que haverá um evento, que tal atleta participou ou conquistou determinado resultado? A natação passou os meses de janeiro e fevereiro de 2017 com o mínimo de notícia nacional relevante que não seja escândalo da CBDA ou eleição da CBDA. A única grande competição nos 2 meses foi um evento privado, o Troféu Thiago Pereira. Pergunte a qualquer lojista especializado em natação como são as vendas para estes meses. Poucos que detém uma visão rasa do negócio dirão que é consequência de férias ou carnaval, mas se nada é feito já com esse pré-conceito, não se movimenta o mercado e isso é ruim para os negócios das empresas;
  11. Atletas: a base da pirâmide da CBDA é a parte mais importante, é o material humano necessário para sustentar toda essa cadeia. Quanto mais, muito melhor. Mais atletas, mais competições, mais crianças na iniciação ao esporte, mais festivais, mais eventos privados, mais… dinheiro! Erich Beting já criticou a falta de exposição dos atletas e a falta de contrapartida sólida para quem já tem patrocinador ou quem está em busca de um. A única arma do atleta para alcançar o tão disputado dinheiro é simplesmente resultado. E resultado só se consegue em competições oficiais, treinado por técnicos motivados e valorizados, com planejamento feito pelos clubes, dentro de um farto calendário da Federação, com suporte técnico, financeiro e logístico da Confederação, que aparece mais frequentemente na televisão, que ajuda na justificativa de investimento para o Ministério do Esporte, e que por fim, dá esperança real de que o esporte aquático está no caminho do maior objetivo da carreira do atleta, a medalha olímpica, um troféu super-valorizado para o COB;
  12. Você: por último, mudar a CBDA interessa a você, que assim como nós quer ver a natação grandiosa não apenas por medalhas olímpicas, mas por cada fim de semana ver com seus próprios olhos que existem mais e mais atletas numa competição, que é possível encontrar informações e notícias semanalmente falando de seu esporte favorito, que quer um esporte que desperte a paixão por consumi-lo. E isso não é possível se nesta eleição da entidade permanecer os mesmos dirigentes que já fazem parte da gestão atual e o mesmo pensamento de que deve-se continuar o legado Coaracy Nunes.

A mudança interessa a muitas pessoas – físicas e jurídicas.

http://www.cbda.org.br/cbda/federacoes

Acima está a lista dos 27 presidentes de Federações (desatualizada para os estados de Goiás e Santa Catarina) que são os que tem o poder estatutário para fazer mudar a CBDA.

Alguns deles estão apenas pensando no benefício próprio, muitos outros estão pensando no desenvolvimento e crescimento.

Exijam deles um posicionamento claro a respeito do voto dele. Porquê estão apoiando uma candidatura que suporta e sobrevive da atual gestão da CBDA? Porquê estão apoiando uma candidatura que está se provando não ter seguido o Estatuto e estarem inadimplentes com suas próprias Federações Aquáticas Estaduais?

A mudança interessa ao futuro da natação brasileira.

1 Comment
  1. Eduardo V S Cunha 4 anos ago
    Reply

    O texto acima é sobre a CBDA? Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos! Só se escreveu da natação como se os demais Desportos Aquáticos não existissem.

Leave a Comment

Your email address will not be published.

You may also like