Uncategorized

Os balancetes da CBDA de janeiro a junho de 2016

Está numa seção especial do site oficial da CBDA um item chamado “Gestão e Governança”. O link é:

http://governanca.cbda.org.br

É uma página simples, com um objetivo: atender os requisitos das leis que regem o desporto nacional, mesmo que ainda mantenham um estatuto em desacordo com os mesmos.

De acordo com o “portal”, estes são os objetivos da CBDA:

Screen Shot 2016-08-25 at 12.32.32

No mesmo “portal”, é posto à público, mesmo que de forma discreta, o acesso aos balancetes financeiros mensais da entidade, de janeiro a junho de 2016. Os anteriores, vai ter que solicitar para a CBDA mesmo, já que a mesma abriu até uma seção chamada “ouvidoria”, também criada por força de lei:

Ouvidoria

A leitura destes balancetes é interessante, confira:

  1. BalanceteAbr-2016
  2. BalanceteMar-2016
  3. BalanceteJun-2016
  4. BalanceteFev-2016
  5. BalanceteMaio-2016
  6. BalanceteJan-2016

Pegamos um exemplo aleatório apenas para demonstrar como é a prioridade da atual gestão da Confederação antes do anunciado caos financeiro:

Screen Shot 2016-08-25 at 12.43.17

Por força do contrato com os Correios, a CBDA deve manter 2 projetos sociais, ambos no estado de Minas Gerais.

13198437_709041802568855_3885176745665947685_o

Este projeto é o de Montes Claros, que ainda mantém uma página no Facebook:

https://www.facebook.com/CORREIOSCBDA

12274390_1724508181112531_2561764248495834519_n

E este é o grupo do projeto social de Barbacena, que também mantém uma página no Facebook embora a última atualização pública de alguma atividade deste grupo foi em novembro de 2015:

https://www.facebook.com/projetosocialbq

Isto é o que a CBDA gasta por mês em impostos e contribuições sociais, entre 400 e 430 mil reais:

Screen Shot 2016-08-25 at 12.49.33

A CBDA gastou em maio de 2016 R$ 341 mil em despesas com pessoal, mais R$ 435 mil com despesas administrativas, r$ 776 mil reais, então, só com despesas da própria Confederação, em um único mês:

Screen Shot 2016-08-25 at 12.51.10

As Federações recebem “subvenção”, mas a distribuição não consta como igualitária (15 entre 27 já receberam recursos este ano, mas duas estão com uma disparidade muito grande de subvenção, SP com R$ 1652 em 5 meses e RS com desprezíveis R$ 80,10 em 5 meses):

Screen Shot 2016-08-25 at 12.53.28

A natação, até maio e em 5 meses, teve gastos de R$ 5,4 milhões, enquanto que o polo gastou R$ 3,1 milhões, nado sincronizado R$ 2,5 milhões, maratonas aquáticas R$ 1,5 milhão e saltos ornamentais R$ 778 mil.

Estas são as receitas de maio/2016:

Screen Shot 2016-08-25 at 12.58.16

Existe uma disparidade enorme de gastos entre competições nacionais e internacionais, como por exemplo o Multinations, que gastou R$ 367 mil, enquanto um Torneio Sul-Brasileiro contabilizou um gasto de R$ 1500:

Screen Shot 2016-08-25 at 13.00.22

E aquele Troféu Maria Lenk 2016, seletiva olímpica, com participação proibida do público, gastou R$ 739 mil, e a conta ainda não foi fechada:

Screen Shot 2016-08-25 at 13.03.30

Mas não pára aí: os gastos estão espalhados pelo relatório, porque foram justificados com receita de lei de incentivo, como por exemplo o próprio Troféu Maria Lenk:

Screen Shot 2016-08-25 at 13.05.45

Screen Shot 2016-08-25 at 13.07.18

E estes são os gastos com as duas seleções de polo aquático nos meses de maio e junho de 2016, R$ 2,2 milhões – apenas com salários (ou se preferir usar o termo correto, “auxílio social”):

Screen Shot 2016-08-25 at 13.09.21 Screen Shot 2016-08-25 at 13.09.12

E por aí vai…

A análise poderia ser enorme, mas pelo pouco “pinçado” em apenas 2 relatórios, nota-se claramente que existe um gasto gigante, prioridades desvirtuadas e uma centralização excessiva de recursos apenas para a elite dos esportes aquáticos em detrimento de fatores básicos como execução de campeonatos brasileiros ou até mesmo a criação de novos campeonatos.

Ainda existem disponíveis as demonstrações contábeis de 2012-2013, 2013-2014 e 2014-2015 que nada mais atestam, através de “auditoria independente” que as contas da CBDA estão regulares, algo como “1 + 1 deu 2” nas contas:

  1. DemonstraContabil-2013-2012
  2. DemonstraContabil-2014-2013
  3. DemonstraContabil-2015-2014

Mas a mais importante demonstração contábil que a maior entidade dos esportes aquáticos do Brasil deveria demonstrar era criar e manter um programa de incentivo e crescimento da base, idealismo que é sempre abandonado em qualquer reunião de Conselho Técnico e que, comprovadamente, nunca representou como objetivo da gestão atual da CBDA.

Leave a Comment

Your email address will not be published.

You may also like